Notícias do Bruno – Junho e Julho/2017


Anúncios

Entre Idas e Vindas


29 | jul | 2017

Entre idas e vindas, às vezes o coração aperta. O chamado é para DEIXAR e IR. Coloco os meus “apegos” de um lado, e Cristo do outro. De frente, observo os dois e vejo que Ele (O Cristo) é infinitamente superior. Imediatamente decido deixar e ir.

Entre idas e vindas, vou por aí levando identidade. Se sofro em meu corpo as consequências do doar-me inteiramente, penso que não há nada no porvir, que pode ser comparado a este tempo presente.

Desapegado do temporal, olho para o meu Futuro, que é uma PESSOA. Miro o PRÊMIO que me espera e recobro o ânimo.

Entre idas e vindas, vou por aí carregando o pertencer.

{b.a}

Eu não vejo a hora!


Nossa vida é uma jornada para SIÃO. Em breve, subiremos (literalmente) o Monte, porque está escrito que “nos últimos dias, acontecerá que o monte da CASA DO SENHOR será estabelecido em cima das montanhas”. Então o templo de Deus estará sobre o Monte SIÃO, e Jerusalém será a capital do Reino dEle na Terra. Para lá afluirão muitas nações e nós faremos “excursões” para conhecê-Lo.

Meu coração é aquecido pelas escrituras que me alinham com a promessa e me aprumam com o que é eterno, arrancando-me do temporal e trazendo-me de volta para a minha Esperança vindoura. Por meio das escrituras, posso sentir O Escritor me dando sobriedade ao fixar os meus olhos nEle: Minha Promessa, minha Herança, meu Galardão e Destino.

Às vezes sinto que o meu coração vai explodir (e não estou sendo exagerado). Há uma dor interior que nunca cessa, há uma saudade que só aumenta. Constantemente me falta o ar e os meus poros se agitam de alguma forma respondendo ao anseio por ver a Razão da minha vida.

Eu não vejo a hora em que Ele irá estabelecer justiça nas nações mais conturbadas. Eu não vejo a hora em que Ele irá transformar as armas de guerra em ferramentas de agricultura. Eu não vejo a hora de ver a eficácia do governo do Justo percorrendo toda a terra. Eu não vejo a hora de ouvir o som do seu ASSOBIO nos chamando para Ele definitivamente (esta cena não me sai da cabeça). Eu não vejo a hora de ver Jesus no meio da congregação liderando a música. Eu não vejo a hora de subir o monte para ouvir e aprender com Ele os Seus caminhos. Eu não vejo a hora em que a Tua CASA, Teu REINO e o TRONO serão firmados PARA SEMPRE. Eu não vejo a hora de ver Jerusalém como objeto de louvor na Terra, por causa do Rei Humilde que se assentará para ensinar, reger e governar as nações. Eu não vejo a hora em que “assim na Terra como no céu” será uma realidade palpável. Então, a Glória que havia antes estará de volta. Será o Dia do findar da nossa peregrinação.

SIÃO, morada da Excelência e Formosura em Pessoa.

“… eu os trarei, e habitarão em Jerusalém; ELES SERÃO O MEU POVO, E EU SEREI O SEU DEUS, em verdade e em justiça.” Zacarias 8:8

Vem!

{b.a}

A menina dos Seus Olhos


Enlight174

Olá pessoal!

Hoje quero indicar esta leitura. Posso garantir que é diferente do que qualquer outra coisa que eu tenha lido sobre IDENTIDADE. O livro fala sobre nossa autoimagem, nosso valor físico (somos a obra de arte de Deus) e quem realmente somos por causa de Jesus.

O Asher (autor do livro) é completamente bíblico e vai – ao longo dos capítulos – mostrando como que a morte e a ressurreição de Jesus alcançaram todas as áreas da nossa vida. Jesus não morreu pra “dar uma melhorada” em nós. Não! A gente não prestava mais. Não havia conserto. Nossa condição era ruim e nosso problema era irremediável. O que Jesus fez foi nos resgatar desta condição ruim. Não nos melhorando ou reparando. Ele nos fez NOVAS CRIATURAS pelo novo nascimento. Uma NOVA LINHAGEM de Yeshua assim como a raça humana é fisicamente descente de Adão. TRANSFORMADOS POR DENTRO renascemos como uma nova raça, uma nova espécie, uma nova família. Ele nos levou de volta ao que já possuíamos anteriormente. Por causa dEle fomos restaurados a essa posição mais alta e superior que tínhamos originalmente.

Enquanto leio, muitas enganos e mentiras vão caindo por meio da Palavra (que é a Verdade a nosso respeito). Nós precisamos da revelação de nosso potencial infinito em Yeshua. Precisamos entrar nesta realidade de quem realmente somos nEle, e experimentar esta plenitude de vida que está disponível para nós hoje.

Ele fala, nós nos tornamos o que Ele afirma a nosso respeito.

O livro é curtinho – tem 82 páginas e você pode encontrá-lo AQUI, no site da Editora Impacto. Vale muito a pena!

Vamos – durante nossa jornada – experimentando mais cura! Vamos nos tornando mais PARECIDOS COM ELE… Até o dia em que Ele vier! Então, seremos definitivamente como Ele.

{b.a}

Faça as contas…


“Certa vez ouvi uma história sobre um mendigo na Índia. Aquele homem tinha mendigado o dia todo e só tinha conseguido meia xícara de arroz. Quando já recolhia suas coisas e se preparava para ir embora, ouviu o barulho de uma comitiva se aproximando. O príncipe estava chegando! Então ele sentou de novo e esperou o príncipe passar. Mas, quando o príncipe passou por ele, parou, desceu do seu elefante, se dirigiu ao mendigo e pediu que lhe desse um pouco de arroz.

O mendigo olhou para ele. “Que petulância,” pensou. “O príncipe quer meu arroz. Ele pode comprar sacos e mais sacos de arroz, e quer que lhe dê o meu.”

Não querendo cometer uma desfeita contra o príncipe, mas ao mesmo tempo sem querer dar muito do seu arroz, o mendigo contou três grãos e os entregou.

Graciosamente o príncipe tomou os grãos de arroz e os entregou ao seu lacaio. Quando o príncipe se retirou, o lacaio se aproximou e jogou três moedas de ouro no colo do mendigo. Quando ele viu as moedas, correu atrás da comitiva, oferecendo o resto do arroz. Mas ninguém sequer o notou.

Naturalmente, se o mendigo soubesse que ganharia uma moeda de ouro para cada grão de arroz que desse, teria dado com alegria todo o arroz.

O Príncipe dos Céus deseja que troquemos aquilo a que nos apegamos por riquezas insondáveis. Será que vamos cometer o mesmo erro que aquele mendigo e segurar tudo?

Mas muitas vezes não queremos entregar tudo. Queremos reter alguma coisa, para o caso de não funcionar. Queremos guardar alguma autoridade sobre nossas vidas, só por garantia. Mas Jesus alimentou cinco mil pessoas com uns poucos pães e dois peixes. Pense então no que Ele poderia fazer por meio de nós, se nos entregássemos completamente a Ele!”

– Keith Green, em “Se Você Ama o Senhor”