Elisabete da Trindade, contada por ela


Eu sou Elisabete da Trindade, quer dizer, Elisabete que desaparece, que se dilui, que se deixa invadir pelos Três. Recomendo que vivamos de amor, sejamos simples, disponíveis todo o tempo, imolando-nos a cada minuto para fazer a vontade do bom Deus sem procurar coisas extraordinárias. E depois, façamo-nos bem pequenos e deixemo-nos levar, como a criancinha nos braços de sua mãe, por aquele, que é nosso Tudo.

Nós somos muito fracos, diria até que somos apenas miséria, mas Ele bem o sabe. Ele gosta tanto de perdoar-nos, de resgatar-nos e, depois, conduzir-nos a Ele, para sua pureza, para sua santidade infinita. É assim que Ele nos purificará, com seu contato contínuo. Eu quero ser santa para fazer a sua felicidade.

Você não vai me achar normal, mas é uma confidência que lhe faço: começo já o meu céu na terra, mas, às vezes, gostaria de olhar pelo outro lado para vê-lo… para amá-lo e perder-me em seu infinito.

Se eu viver plenamente minha vida, terei o consolo de desgastar-me por Ele, somente por Ele. Então, pouco importa a ocupação na qual Ele me quer: já que Ele está sempre comigo, a oração e a entrega jamais acabarão.

E essa é toda a minha ambição: ser a presa do amor!

Anúncios

Sobre 2018 e o próximo ano


Meu Deslumbre


Jesus é A Luz que atravessou o meu corpo e penetrou as regiões mais profundas do meu coração, acessando meus medos e vergonhas, traumas e inseguranças.

Vê-Lo, curou áreas quebradas de uma vida inteira… Eu nunca mais fui o mesmo.

O que esse encontro causou em mim vai muito além de uma canção.

É impossível tocar O Fogo e não se queimar. Dois anos se passaram desde o nosso encontro e eu ainda estou incendiado.

Nada é mais Deslumbrante do que o Filho de Deus.

Traga elas até aqui em Casa


Crianças da Comunidade Ribeirinha Sacado – Rio Purus | Amazonas – Ago/2018.

Quando me disseram que eu teria um tempo com as crianças ribeirinhas, perguntei: Jesus, como eu posso ser útil pra elas? O que Você quer que eu fale? Você sabe que elas sofrem com abusos recorrentes, e Você sabe também o quanto que eu desejo que elas te conheçam de verdade. Jesus, eu preciso muito que elas te encontrem… Porque encontros com Você é que curam. Elas precisam te ver! O que eu faço?

Silenciei e aguardei alguns minutos… A única coisa que eu ouvia era o barulho dos botos que nadavam sobre o rio e algumas aves que voavam perto do nosso barco.

– “Fale sobre minha alegria”, rompeu Ele com o silêncio.

Meu coração disparou. E antes que eu respondesse qualquer coisa, Ele disse novamente:

– “Fale sobre minha alegria!” Então acrescentou: “…E traga elas até aqui em casa, pra que elas experimentem isso.”

Subi os morros em direção à comunidade cheio de alegria. Meu coração queimava e meu interior se movimentava… Logo me lembrei que todas as minhas experiências com a minha família do céu (A Trindade que eu amo) sempre envolvem MUITA ALEGRIA!

Comecei contando a história do filho pródigo e apresentei o Pai, que recebe o seu filho que volta arrependido, com muita alegria. Eles ficaram espantados e disseram que o filho merecia uma “pêa” – ou surra, como dizemos. A resposta é compreensível… Convivendo, você entende que eles raramente recebem amor.

Em seguida, contei sobre o Reino de paz, justiça e ALEGRIA. Falei sobre a cidade de Deus como um lugar físico, real. Meu objetivo não era que eles tocassem só uma história. Eu queria que eles tocassem uma Pessoa.

Apesar do ambiente hostil, me enchi de coragem quando me lembrei da voz dEle – minutos antes – me dizendo: “…E traga elas até aqui em casa…”.

Foi o que fiz.

Pedi pra que eles fechassem os olhos e juntos oramos, pedindo: “Espírito de Deus, leva-nos a conhecer Jesus.”

Ainda de olhos fechados, comecei a contar sobre a realidade da cidade de Deus, baseada nas escrituras. Passamos pelo portão e fomos caminhando sobre a cidade que não tem fundamentos humanos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. As crianças observavam detalhe por detalhe… E mesmo de olhos fechados, faziam caras e expressões de alegria.

Nos aproximamos da grande montanha, onde no topo, pode-se ver uma Casa. Pelas escadas subimos até o lugar mais fascinante que qualquer ser humano na história já conheceu.

De frente para a porta da sala principal, pedi pra que eles entrassem. E daí em diante, decidi não contar mais nada – pra que cada um deles tivessem sua própria experiência diante dos dois tronos.

Eu estava de olhos abertos, observando…. Alguns riam, outros faziam caras de espanto. Alguns ficaram emocionados, outros em euforia.

Nos emocionamos, oramos e concluímos ouvindo o que cada criança tinha visto e sentido. Pela descrição exata, tive certeza absoluta de que alguns deles estiveram com Jesus.

Este na foto é o Ruan, ele tem 8 anos. Este menino tinha me chamado a atenção enquanto estávamos sobre a montanha. Desejou compartilhar sua alegria em conhecer Jesus e o Seu Pai, mas acabou sendo abafado pelas outras crianças, que zombaram dele.

No final, ele e sua mãe vieram até nós… Enxugando as lágrimas, a mãe dele nos disse: Ele quer receber Jesus, mas estava com vergonha das outras crianças. Abraçamos o Ruan e oramos com ele. Os céus festejaram. E meu coração quase não aguenta…

Elogie JESUS comigo. ELE é, O HOMEM mais FASCINANTE e mais ALEGRE de toda a Terra (Sl 45:7). Ele é O DESEJADO DAS NAÇÕES (Ag 2:7).

Porque fazemos o que fazemos


20160701_232041000_iOS

Aah, o IR… Que gradativamente vai tomando tudo em nossa vida, que em nosso interior derruba os valores passageiros e estabelece valores eternos. O IR, que aguça a urgência dos céus dentro da gente e nos molda ao coração do Deus missionário. O IR, que nos ensina o desprender, o abrir mão, o renunciar e o mortificar. O IR, que só é possível por causa do Espírito da Verdade, que nos ensina e anima no caminho. O IR, que é NOBRE e ETERNO.

No entanto, o IR não é mais importante do que o Deus que nos manda ir. O ir é secundário e só existe porque Deus ainda não é conhecido em todos os lugares. A seara não é mais importante que o Deus da seara. Nós somos cooperadores no trabalho e não podemos fazer coisa alguma sem o Dono do negócio. Muito embora Ele trabalhe em parceria conosco, as ideias são dEle, as estratégias são dEle, o sustento que precisamos para cumprir Sua vontade vem dEle, a disposição e a disponibilidade em nós vem dEle, tudo vem dEle e a seara é dEle.

Um dia, quando todos os povos da terra O conhecerem, missões acabará. Então, a adoração continuará e será ininterrupta. Finalmente veremos Aquele que tanto desejamos conhecer, tocaremos no Homem que tanto almejamos ver. Estaremos diante dEle para sempre respondendo a Quem Ele é. Face a face – ao vivo e a cores – olharemos nos olhos do Amor, nosso Galardão excessivamente grande, nossa Recompensa.

Será o DIA em que Ele receberá a Sua herança, o Dia do findar da nossa peregrinação, quando estaremos novamente em CASA. Festejaremos ao som de música e muita alegria… Em família, desfrutaremos da Sua Presença com júbilo e brados.

Trabalhamos com missões por obediência e amor a Quem nos chamou e vocacionou. Trabalhamos com missões porque queremos a Sua volta mais do queremos ver pessoas salvas. Não somos protagonistas, Deus é! Não somos heróis, Deus é! Não podemos salvar e convencer os homens, Deus pode!

“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” Rm 11:36