A Eternidade segurou em minha mão


Não há limites para Você. Você conhece tudo, sabe de tudo.

Estou no alto, mas minha visão é limitada. Da janela posso ver só até o horizonte. Com Você eu posso ir além do horizonte e ver coisas novas. Você me chama para IR e eu vou. Nem preciso saber para onde. Eu vou!

Você me toma pelas mãos, e juntos corremos, cantamos os assuntos eternos  e trabalhamos. Estou de mãos dadas com Aquele cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.

Enquanto nos divertimos, olho para trás e vejo que ao som da Sua Voz os desertos estão florescendo. Tudo muda por onde Você passa. 

Subo os montes, e alegremente desço os vales. De mãos dadas com a própria Eternidade em Pessoa, subir ou descer tanto faz.

Eu vou com Você pra onde Você for. Meu Amor, pra onde Você me chamar eu vou.

{b.a}

Anúncios

Um texto para o meu amigo, que está indo embora


Meu amigo, despedidas nunca são fáceis… E aqui estou eu, chorando enquanto escrevo. No domingo, tentei te agradecer e dizer o quanto você é importante pra mim, mas não consegui. Então, prepara que lá vem textão:

Quando vim para Monte Mor, em Janeiro de 2016, não conseguia ver um passo à frente. Eu só sabia que eu deveria DEIXAR a casa dos meus pais, renunciar minha própria vida e IR… Ir em direção à Voz que me chamava. Me lembro de pensar: “Meu Deus! Eu não sei nem com quem eu vou morar!” Foi quando conversei com Ele e fiz um pedido: “Deus, me dá amigos lá!? Por favor, leva os Teus amigos e me apresenta!?”

Jesus te apresentou pra mim e a gente viveu dois anos juntos… Muito tempo para conhecer o seu coração e ver o quanto você é amigo de Deus. Hoje você está indo embora, completando um ciclo, e como amigo dEle, renunciando mais uma vez a sua própria vontade.

Esta foto foi tirada as 05 da manhã. Me lembro que a gente queria pegar o nascer do sol. Ela é mais que uma foto bonita, ela representa o seu anseio em querer comunicar a VERDADE custe o que custar (custe levantar antes do sol nascer e se embrenhar no meio do mato, rs), representa sua excelência e o seu doar generosamente (porque você sempre se doa e desce para servir e ensinar). Esta foto tem valor eterno pra mim porque o som que você liberou aquele dia, mudou o ambiente e atraiu os cavalos, que vieram correndo de longe para ouvir… Experimentar a criação respondendo à música é, sem duvida, um relance da eternidade.

Sammet, muito obrigado por tudo o que você fez por mim. Jesus te usou para destravar o meu destino na área da música. Acreditando e investindo em mim vocês desataram as cordas que me prendiam há muitos anos. Me animando, me consolando e me empurrando, vocês me arrancaram de um lugar de letargia, de inércia. Eu já havia desistido! Eu estava desacreditado de mim mesmo. E você, meu irmão, foi a resposta da minha oração, o amigo de Deus que ouve o Seu coração e o transmite (muito bem) em forma de canções – despertando outros a desejarem conhecer e experimentar o fascinante, largo e profundo coração de Deus.

Men, hoje eu sou livre! E você tem participação nisso. Estou escrevendo, compondo para Jesus. Estou voando, cantando para Aquele que se tornou o meu DESLUMBRE.

Vamos seguindo, meu amigo. Vamos compondo, vamos cantando o que estamos vendo (a realidade do céu) e o que ansiamos ver (céus e terra se tornando uma coisa só). Vamos “musicando”, revelando – por meio dos nossos dons – Quem é esse HOMEM que está assentado do Trono, até que Ele venha!

Quando Ele vier, Ele vai liderar a música (Sl 22:22). Aí meu chapa, nós “vamo PI-RAR!”

Muito obrigado, men! Que Jesus te recompense por tudo o que você fez por mim.

{b.a}

Lion, Uma Jornada Para Casa


12

Depois de assistir: “Lion, Uma Jornada para Casa”, a gente fica com um misto de desconforto e esperança, dor e alegria, aquela sensação de saudade aumentada. Chorei, ri, angustiei e vibrei… Não por uma coisa passageira.

Eu amo me conectar com coisas (sejam livros, quadros, filmes, textos, músicas, arte) que me remetem ao LUGAR de onde vim e para onde estou indo. Viver assim, aguça minha alma para focar no DESTINO, me ajuda a não distrair, fortalece o meu homem interior e alarga o meu coração para perseverar olhando para O mais IMPORTANTE.
.
Somos todos peregrinos aqui, todos estamos sofrendo longe do nosso LAR – que é uma PESSOA.

{b.a}

O Importante


Estou na estrada, indo embora de São Paulo, voltando para Monte Mor (minha cidade querida). Choveu, o dia está cinza. Todos estão dormindo dentro do ônibus… Há silêncio. Meu coração está apertado. Todas as vezes que tenho que deixar a família, os amigos e a segurança, o aperto retorna. É sempre difícil… Antes eu achava que este “lugar estreito” (dentro de mim) iria passar à medida em que o tempo avançasse. Eu pensava que o coração cedo ou tarde iria se acostumar. Mas, não… ele nunca se acostuma.

Há dois anos estou neste jornada peregrina. E há dois anos o aperto reaparece. Ele chega nos momentos de despedida e permanece no caminho de retorno para a TAREFA.

São nesses momentos – do comprimir do coração – que constantemente devo me lembrar o porque, o para que Deus me chamou. Devo colocar bem do lado de Jesus tudo o que puxa o meu coração para o “ficar” e viver confortavelmente. Devo me esforçar e dizer para mim mesmo o que Ele me disse há dois anos atrás quando o meu coração gritou de dor: “Bruno, a CAUSA é maior do que a sua dor”.

De tudo o que escrevi, peço que você atente para o mais importante: O importante não é ficar focado em nossas dores, o importante é pensar no fruto que elas produzem. O importante não é gastar energia pedindo pra que elas passem ou diminuam, porque nunca seremos poupados delas. O importante mesmo é que as dores, os apertos e as angústias estão nos fazendo mais parecidos com JESUS, o Homem que abriu mão da Sua Glória. Este homem de dores, sabe exatamente o que é ser “deslocado” da sua família. Ele sabe o que é desconforto. Cristo sabe o que é DEIXAR e IR, por experiência vivenciada.

Eu quero aprender com Ele.

{b.a}

Entre Idas e Vindas


29 | jul | 2017

Entre idas e vindas, às vezes o coração aperta. O chamado é para DEIXAR e IR. Coloco os meus “apegos” de um lado, e Cristo do outro. De frente, observo os dois e vejo que Ele (O Cristo) é infinitamente superior. Imediatamente decido deixar e ir.

Entre idas e vindas, vou por aí levando identidade. Se sofro em meu corpo as consequências do doar-me inteiramente, penso que não há nada no porvir, que pode ser comparado a este tempo presente.

Desapegado do temporal, olho para o meu Futuro, que é uma PESSOA. Miro o PRÊMIO que me espera e recobro o ânimo.

Entre idas e vindas, vou por aí carregando o pertencer.

{b.a}