Sorriso largo do Pai


img_9933Pisar neste lugar novamente me fez disparar o coração. O cheiro, o vento, a montanha e o som dos pássaros me trouxeram recordações das alegrias e tristezas que vivi aqui. Lágrimas, renúncias, morte e milagres. Orações apaixonadas e orações desesperadas que vieram junto com os processos necessários, conduzindo-me ao amadurecimento.

Muito embora eu tenha passado por dores, privações e alegrias, a lembrança mais viva que tenho hoje não são dos períodos cinzas que vivi, mas de como Deus estava enquanto eu passava pelas noites escuras da alma. Sabe como Ele sempre estava? Com aquele sorriso largo (bem peculiar). Não importa o que estivesse acontecendo dentro ou fora de mim, Ele estava sempre sorrindo. Até quando eu vinha por obrigação, Ele estava sempre feliz, me beijando com os beijos da Sua Palavra. Ouví-Lo era remédio! Ainda é.

Hoje, quando me aproximei novamente do lugar onde nos encontrávamos no ano passado, a primeira coisa que vi foi o sorrisão alegre dEle, que sem verbalizar nenhuma palavra, me disse: “Que bom que você veio, filho!”

{b.a}

Contentamento cotidiano


A sensação de pertencimento e de lar me tomaram hoje cedo, quando eu pendurava roupas no varal.

Quando a gente encontra o CONTENTAMENTO, a gente entende que o contentar-se não está ligado apenas a momentos que chamamos de “espirituais”. Eu posso lavar banheiro e ser plenamente feliz. Posso desempenhar qualquer tarefa e me encontrar com a satisfação enquanto trabalho. Porque não depende do lugar geográfico onde estou, mas do estado do meu coração. Não depende do que faço, mas de quem eu sou. Eu sou FILHO de um Pai presente!

Abraçado pela Alegria e preenchido pelo contentamento, joguei um beijo pro Pai, agradeçendo a Ele por ter me libertado dos sofismas do serviço.

{b.a}

Primeiro me Amou


Nós andávamos sujos, presos em correntes de pecado, rodeados pela escuridão. Este era o nosso estado. Até que um dia O amor – que é uma PESSOA – nos alcançou, nos atraiu com cordas fortes (cordas de amor) e refez a nossa rota, nos dando novo DESTINO. Hoje nós podemos ir direto ao Trono de Deus – a qualquer hora – sem nenhuma condenação. Por causa de Jesus, a gente pode entrar e habitar neste lugar, ficar lá e curtir a Presença do Papai! Ô maravilha de vida!!!

A vida normal e o estragamento


Deixamos o sertão ontem e parece que há uma espécie de “buraco” em nós… É a mistura do corpo cansado, da alma agitada que se envolve e que depois tem que “deixar”, e do senso de estranheza recorrente que confronta o que chamamos de voltar para a “vida normal”. Que vida normal? Encontros com o coração de Deus nos mostram que a vida normal não é esta que se envolve esporadicamente, ou de vez em quando, nem “quando der…” – isto, é a vida anormal. Que Deus nos livre da letargia e da indiferença de sermos anormais.

A vida normal é a que usamos diariamente para gastar com os negócios e interesses do Pai, com os sonhos dEle. É deixar-se estragar e não prestar para mais nada, se não para uma coisa só, ou melhor, PARA UM SÓ. Eu decidi que quero viver estragado!

{b.a}